25 February 2008

Memórias futuras

Por Lisboa chove, chove como poucas vezes observei. Arrasto as memórias para a África dos meus sonhos, esta chuva que convida a momentos de prazer e companhia, imaginários de corpos à chuva em dias tórridos, de calma e languidão, de loooooooonnnngos momentos de ternura.

Gosto destes dias mais intimos, mais fechados sobre nós próprios, sobre o prazer de ser, de ter, de estar, de sentir ... por aqui mesmo!



.

3 comments:

Anonymous said...

...e na ternura do teu canto,desvaneço o desencanto...

isabel mendes ferreira said...

looooooooooooonnngo....o momento. da ternura.




beijo.

alice said...

Boa tarde. Desculpe o comentário. Venho informar que o link do post do Piano ("de acordes especiais") tem um poema de Isabel Mendes Ferreira. Agradeço a sua leitura.