04 December 2006

Bom dia

Fotografia "MC"


No teu corpo

Do teu corpo me deito no reflexo prateado
da penumbra que nos envolve, formas que
escapam à luz de velas, percorridas lentamente
por olhares semi-cerrados, desfocados, mais bebendo
insaciáveis, prolongando a satisfação.

Respiro o teu odor ao ritmo do meu coração,
entranhando em mim, ora calmo, tranquilo,
compassado do tempo a escorregar brando,
ora agitado, galopante de querer, de desejo
incontrolado, exuberante, pronto.

Sinto na pele o correr dos teus dedos, desenhando
as formas do meu ser, deslizam em gestos conhecedores
dos caminhos a percorrer, suaves, fortes,
enterram-se na carne, gentis e decididos,
sem hesitar, levando-me, conduzindo, seguros.

. . . aqui estou, aqui me tens!


."MC"

4 comments:

Mendes Ferreira said...

....diria que a escrever assim ao ritmo do coração logo logo chegará ao dentro mais dentro da alma...:)))

:Bom dia...

obrigada.


claro que sim!

(A rasar o Céu)


________________abraço.

Y. said...

obrigada....:))))


Boa tarde.



não ligue ao Y....

(a Rasar o Céu)


abraço.

Tu e eu said...

Eu sem titulo. Sem palavras. Sem ti. A tentar escrever-nos. A enrolar entre as dobras das palavras que sabes que te gosto. A dizer-te que sei que me pensas pouco sensível, que pensas que não entendo as tuas subtilezas, os teus recados; que não entendo o que me dizes nos espaços do que deixas por dizer, nos espaços que deixas em branco para eu preencher. A escrever-te que sei que estás. Que tudo é simples, que nenhum de nós é fácil. Que não sei o que é que me deu ou porque, talvez, quase tudo na vida se inicia sem nos darmos conta. Eu, a tentar abrir o coração, a tentar escrever-te, a tentar escrever-nos. A tentar dizer-te que há momentos que se perdem por tanto pensar quando se devia exclusivamente sentir, que sinto por ti o mesmo desejo que tu por mim. Que acordo e adormeço com o mesmo pensamento. Que me apetece encontrar-te, abraçar-te, sentir as tuas mãos a deslizar pelas minhas costas, pelo meu corpo, a agarrarem-me, a apertarem-me contra ti, suaves, fortes, e só depois olhar-te fundo nos olhos, por um breve instante, antes das nossas bocas se colarem num beijo, num milhão de beijos, tão apaixonados quanto nós, porque gosto de ti, porque me apetece estar contigo e celebrar-nos de acordo com a natureza e os instintos primários, porque o imprevisto acontece em data incerta e sem hora marcada. Porque te quero.

Zahir said...

Parabéns «Princípezinho»!
Esse coração vê mt melhor do q os olhos!
Nunca li nada q tão profundamente me fizesse sentir aquilo que realmente semeia a nossa existência! Um beijo GRAANDE!!